CONTRACS > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > PREÇOS DA CESTA BÁSICA SOBEM EM TODO O PAÍS NO ANO E EM 12 MESES

Preços da cesta básica sobem em todo o país no ano e em 12 meses

05/08/2022

Em julho, maioria das cidades teve redução. Dieese calculou em R$ 6.388,55 o salário mínimo necessário para as despesas de uma família com alimentos

Escrito por: RBA

 

Os preços médios da cesta básica recuaram em 10 das 17 capitais pesquisadas pelo Dieese de junho para julho. Mas têm alta em todas as cidades no ano e também nos últimos 12 meses, segundo os dados divulgados pelo instituto nesta sexta-feira (5).
 
No mês, o Dieese apurou queda em Aracaju, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, João Pessoa, Natal, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo. E alta dos preços em Belém, Belo Horizonte, Brasília, Campo Grande, Recife, Salvador e Vitória.
 
Aumento generalizado em 2022
Já no acumulado de janeiro a julho, houve aumento da cesta básica em todas as capitais, com destaque para Recife (15,83%), Belém (13,70%), Aracaju (13,48%) e Brasília (13,25%). O maior valor no mês passado foi apurado em São Paulo (R$ 760,45) e o menor, em Aracaju (R$ 542,50). O Dieese lembra que a composição da cesta é diferente nas regiões Norte e Nordeste.
 
Também em 12 meses, a alta foi generalizada. As variações foram de 11,07%, em Aracaju, a 26,46%, em Recife. Na capital paulista, a cesta subiu 18,73% no período.
 
Salário mínimo
 
Assim, com base na cesta mais cara, o Dieese calculou em R$ 6.388,55 o salário mínimo necessário para as despesas básicas de uma família com quatro pessoas. Isso corresponde a 5,27 vezes o mínimo oficial (R$ 1.212). A proporção é um pouco menor que a de junho (5,39) e maior que há um ano (5,02 vezes).
 
Já o tempo médio necessário para adquirir os produtos da cesta foi de 120 horas e 37 minutos, também menor do que junho (121 horas e 26 minutos) e bem maior do que em julho do ano passado (113 horas e 19 minutos). Além disso, o trabalhador que recebe salário mínimo compromete 59,27% da renda líquida com os produtos alimentícios, ante 59,68% no mês anterior e 55,68% um ano atrás.
 
Em julho, segundo o Dieese, o preço do litro de leite integral e da manteiga aumentou nas 17 capitais. O pão francês teve alta em 16 cidades, enquanto a farinha de trigo subiu em oito das 10 onde é pesquisada. Já a banana ficou mais cara em 15 das 17 cidades. Por outro lado, o instituto captou redução predominante de preço da batata, do tomate e do óleo de soja.
 
  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
Conexão Sindical Condomínio Facebook Twitter Contracs Rede Brasil Atual Fenascera Fecesc Fetracom-DF Fetrace Fetracom-PB Fetracs Fetracs-RN Fetracs RS Fenatrad Fetracom/MS Fenadados

Todos os Direitos Reservados © CONTRACS
Sede: Quadra 1, Bloco I, Edifício Central, salas 403 a 406 | Setor Comercial Sul | CEP: 70304-900 | Brasília | DF
Telefone:(55 61) 3225-6366 | Fax:(55 61) 3225-6280
Subsede: Avenida Celso Garcia, 3177 | Tatuapé | CEP: 03063-000 | São Paulo | SP
Telefones:(55 11) 2091-6620 / 2091-2253 / 2092-5515 / 2225-1368 | Fax:(55 11) 3209-7496
www.contracs.org.br | contracs@contracs.org.br