CONTRACS > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > ENCONTRO DE ASSEIO E CONSERVAÇÃO E LIMPEZA URBANA TRAÇA PERFIL DAS CATEGORIAS

Encontro de asseio e conservação e limpeza urbana traça perfil das categorias

24/03/2017

Número de trabalhadores, sexo, remuneração média e escolaridade foram abordados

Escrito por: Adriana Franco/Contracs

Nesta quarta-feira (22), durante o II Encontro Nacional do Setor de Asseio e Conservador e Limpeza Urbana, o técnico do Dieese na subseção da Contracs, Adalberto da Silva, traçou o perfil das categorias, mostrando as características como idade média, remuneração, escolaridade e o número de trabalhadores em cada setor.

Segundo Adalberto, o estoque de trabalhadores diminuiu nos últimos dois anos, diante da crise econômica brasileira. No setor de limpeza urbana, até 2014 o número de trabalhadores vinha aumentando, mas em 2015 começou a cair. De acordo com a RAIS, a região Sudeste foi a que mais reduziu postos de emprego. Já no setor de asseio e conservação, em 2014 houve crescimento do número de trabalhadores, que caiu em 2015 com maior impacto na região nordeste.

A movimentação no mercado de trabalho teve saldo negativo tanto na limpeza urbana quanto no setor de asseio e conservação, que teve maior redução de postos de trabalho.

Já a remuneração média dos dois setores comprovou o impacto da valorização do salário mínimo. No setor de asseio e conservação, o salário passou de R$ 845,45 em 2012 para R$ 1091,55 em 2015. Na limpeza urbana, a média salarial passou de R$ 1.279,88 em 2012 para R$ 1.663,30 em 2015.

A composição entre os setores é diferente em relação ao sexo. Na limpeza urbana, os homens compõem 81% da categoria enquanto as mulheres somam apenas 19%. No setor de asseio e conservação, as mulheres são maioria compondo 61% dos trabalhadores enquanto os homens somam 39%.

Em relação à idade, ambas as categorias contam com trabalhadores/as na mesma faixa etária e maior concentração de trabalhadores com mais de 30 anos. Além disso, os dois setores contam com concentração de trabalhadores com 12 meses ou mais no posto de trabalho.

Sobre a escolaridade, no asseio e conservação a maior concentração dos trabalhadores possui ensino médio completo já na limpeza urbana, os trabalhadores estão distribuídos majoritariamente até fundamental completo. Surpreende, no entanto, o número já crescente de trabalhadores que ascenderam ao ensino superior completo e incompleto em ambas as categorias.

Ao analisar a distribuição dos reajustes salariais nos últimos anos, o técnico do Dieese destacou que a partir de 2004 houve queda nas negociações abaixo da inflação, permitindo que a maioria das categorias obtivessem ganhos reais. No entanto, em 2015, as negociações acima da inflação diminuíram drasticamente e aumentou significativamente as negociações abaixo da inflação, que sequer conseguiram fazer a reposição inflacionária.

Ao traçar as expectativas para as próximas negociações coletivas, Adalberto da Silva ressaltou o que crescimento econômico será próximo a zero com uma tendência na queda da inflação. Desta maneira, o mercado de trabalho continua fraco com aumento do desemprego e da informalidade. Ao tratar dos desafios do movimento sindical diante deste cenário, Adalberto reafirmou que é necessário conquistar o aumento real bem como aumentar o patamar dos ganhos além de pressionar por mudanças na política econômica, que levou o país à recessão, que afeta o mercado de trabalho, aumenta o desemprego e a informalidade e reduz a renda.
 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
Facebook Twitter Contracs Fecesc Fetrace Fetracom-DF Fetracom-PB Fetracs-RN Conexão Sindical Rede Brasil Atual

Todos os Direitos Reservados © CONTRACS
Sede: Quadra 1, Bloco I, Edifício Central, salas 403 a 406 | Setor Comercial Sul | CEP: 70304-900 | Brasília | DF
Telefone:(55 61) 3225-6366 | Fax:(55 61) 3225-6280
Subsede: Avenida Celso Garcia, 3177 | Tatuapé | CEP: 03063-000 | São Paulo | SP
Telefones:(55 11) 2091-6620 / 2091-2253 / 2092-5515 / 2225-1368 | Fax:(55 11) 3209-7496
www.contracs.org.br | contracs@contracs.org.br