CONTRACS > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > “NÃO SE PODE CONDENAR INOCENTES PARA ENTREGAR CULPADOS PELA CORRUPÇÃO”, DIZ JURISTA

“Não se pode condenar inocentes para entregar culpados pela corrupção”, diz jurista

25/05/2018

Diretora de Associação de Juízes pela Democracia, doutora em Direito internacional destaca importância de unidade para frear ataques a direitos

Escrito por: Luiz Carvalho - Contracs


A Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) deu início nessa quinta-feira (24), no Rio de Janeiro, a um seminário internacional em defesa das garantiras jurídicas e dos direitos fundamentais que segue até o sábado e oficializará sua fundação.

O grupo nasceu durante o processo de impeachment da presidenta eleita Dilma Rousseff para se contrapor a um julgamento sem crime de responsabilidade. E seguiu como reação às reformas constitucionais de regressão de direitos, como a trabalhista, a previdenciária (parada no Congresso) e a emenda que congelou os investimentos públicos por 20 anos.

Além de juristas, a associação que já possui 1 mil associados representando 18 estados, tem entre os associados representantes dos movimentos sindical e sociais  como a CUT.

Secretário de Assuntos Jurídicos da Central e diretor da Contracs (Confederação dos Trabalhadores no Comércio e Serviços), Valeir Ertle, aponta que é necessário estabelecer um grupo de resistência que conheça os bastidores do Judiciário para pressionar contra o ataque a direitos constitucionais.

“A ABJ tem o papel de agregar, como faz a CUT, todo aquele que sente o desejo de lutar pela democracia. No caso dela, de articular, organizar e trazer para a batalha juristas que não se sentem representados pelas associações de classe que, não raro, se calam diante de abusos”, afirmou.

Doutora em Direito internacional e uma das fundadoras da associação, Carol Proner aponta que o país vive um momento de exceção também no  Judiciário e, mais do que nunca, se torna fundamental a existência de uma frente para resistir.

“Há um crescimento dentro do sistema de Justiça em processos excepcionais contra garantias fundamentais, como a presunção de inocência, o direito à ampla defesa e ao contraditório, tudo sob o argumento do combate à corrupção. O Brasil precisa de soluções de combate aos desvios, mas não pode condenar inocentes porque precisa determinar um culpado para a corrupção”, defende.


 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Nome:
E-mail:
Título:

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
Aposentômetro Conexão Sindical Condomínio Facebook Twitter Contracs Rede Brasil Atual Fecesc Fetrace Fetracom-DF Fetracom-PB Fetracs-RN Fetracs Fetracs RS Fenatrad

Todos os Direitos Reservados © CONTRACS
Sede: Quadra 1, Bloco I, Edifício Central, salas 403 a 406 | Setor Comercial Sul | CEP: 70304-900 | Brasília | DF
Telefone:(55 61) 3225-6366 | Fax:(55 61) 3225-6280
Subsede: Avenida Celso Garcia, 3177 | Tatuapé | CEP: 03063-000 | São Paulo | SP
Telefones:(55 11) 2091-6620 / 2091-2253 / 2092-5515 / 2225-1368 | Fax:(55 11) 3209-7496
www.contracs.org.br | contracs@contracs.org.br