CONTRACS > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > GREVE DOS CAMINHONEIROS ESCANCARA ESTRAGO CAUSADO POR TEMER

Greve dos caminhoneiros escancara estrago causado por Temer

28/05/2018

Para presidente da Contracs, mobilização da categoria aponta para prejuízos das medidas adotadas por golpistas

Escrito por: Alci Matos - Presidente da Contracs


A greve dos caminhoneiros que chega ao oitavo dia é um resultado da incompetência do governo ilegítimo de Michel Temer para lidar com situações de crise e revela o tamanho do estrago que as medidas implementadas pelos golpistas trouxe a curto e trará a médio e longo prazo.

A política de preços dos combustíveis adotada em julho por Temer, pelo ministro Henrique Meirelles e pelo presidente da Petrobrás, Pedro Parente, resultou em aumentos abusivos dos preços e do óleo diesel, que impactam no gás de cozinha, na gasolina e, consequentemente, no custo do transporte e preço dos produtos.

Desde então, o petróleo no Brasil passou a acompanhar cotações do barril e do dólar e, aliado ao aumento das importações por conta da decisão de fazer com que as refinarias trabalhem abaixo da capacidade normal, causou alegria aos acionistas internacionais e um rombo no bolso dos brasileiros e brasileiras.

A situação é absurda para um país que extrai mais petróleo do que utiliza e que possui uma reserva de petróleo de 23,63 bilhões de barris. Por conta de um modelo suicida, o botijão de gás aumentou, só em 2017, 70% e a gasolina 57%.

A resposta ao movimento grevista não atende à maioria da classe trabalhadora e o resultado disso são mobilizações de outras categorias como agora os companheiros petroleiros que sabem, a redução do óleo diesel e medidas pontuais para o transporte não resolvem a situação precária de quem teve direitos arrancados.

Não adianta tirar centavos da gasolina, se uma emenda constitucional (EC 95/2016) congela investimentos governamentais por 20 anos e pode levar hospitais, escolas e serviços de segurança e transporte públicos ao colapso.

O cenário que levou à greve dos caminhoneiros é apenas a ponta de um grande iceberg esculpido por Temer e que pode levar o país à bancarrota.

Se hoje falta consumidor porque os produtos estão escassos nas prateleiras após a paralisação dos caminhoneiros, amanhã faltará porque não haverá quem compre sem o salário que a reforma trabalhista e o trabalho intermitente, aquele em que o trabalhador recebe por hora, levaram embora.

A terceirização sem limites também ajudará a achatar os vencimentos do trabalhador, que pouco tempo terá para lazer, já que viverá de vários bicos com o fim da carteira assinada. E na outra ponta estarão os sindicatos e a justiça trabalhistas lutando contra medidas que buscam sufocar a organização sindical e impedir que acionem o Poder Judiciário para tentar resolver falcatruas patronais.

Para muito além da justa redução do preço dos combustíveis que impactam na mesa de todos os brasileiros e pioram ainda mais a condição dos caminhoneiros, o momento é de defender uma pauta ampla contra a retirada de direitos de toda a classe trabalhadora.

A Contracs convoca suas bases na defesa do direito à greve, da democracia e alerta para a necessidade de combater qualquer ideia de resolução de problemas que não seja a negociação. Não podemos cair na armadilha de acreditar que a solução para a crise está em salvadores da pátria, muito menos em regimes totalitários de triste memória recente no Brasil que sufocaram a luta da classe trabalhadora.

A única saída é a mobilização e unidade dos trabalhadores e trabalhadoras em suas organizações sindicais para frear a retirada de direitos que Temer e os aliados do segmento empresarial impuseram ao país.



                                                                                   Alci Matos Araújo
                          Presidente da Contracs-CUT (Confederação dos Trabalhadores no Comércio e Serviços)



 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Nome:
E-mail:
Título:

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
Aposentômetro Conexão Sindical Condomínio Facebook Twitter Contracs Rede Brasil Atual Fecesc Fetrace Fetracom-DF Fetracom-PB Fetracs-RN Fetracs Fetracs RS Fenatrad

Todos os Direitos Reservados © CONTRACS
Sede: Quadra 1, Bloco I, Edifício Central, salas 403 a 406 | Setor Comercial Sul | CEP: 70304-900 | Brasília | DF
Telefone:(55 61) 3225-6366 | Fax:(55 61) 3225-6280
Subsede: Avenida Celso Garcia, 3177 | Tatuapé | CEP: 03063-000 | São Paulo | SP
Telefones:(55 11) 2091-6620 / 2091-2253 / 2092-5515 / 2225-1368 | Fax:(55 11) 3209-7496
www.contracs.org.br | contracs@contracs.org.br