CONTRACS > LISTAR NOTÍCIAS > WALMART É ACUSADO POR ASSÉDIO MORAL E MPT PEDE R$ 125 MILHÕES

Walmart é acusado por assédio moral e MPT pede R$ 125 milhões

31/07/2014

Rede também é acusada a desrespeito à jornada de trabalho, além da falta de equipamentos e condições adequadas de saúde e segurança

Escrito por: Época

O Ministério Público do Trabalho (MPT) em Alagoas ajuizou uma ação civil pública que pede que o Walmart seja condenado a pagar R$ 125 milhões por supostamente cometer irregularidades trabalhistas. A ação envolve assédio moral e desrespeito à jornada de trabalho, além de falta de equipamentos e condições adequadas de saúde e segurança.

Segundo informou o MPT, investigações constataram que os trabalhadores são advertidos de forma constrangedora. Além disso, afirma o MPT, auditores fiscais do trabalho verificaram que a empresa não concede intervalo para almoço e que costuma prorrogar a jornada normal de trabalho além do limite legal de duas horas. A concessão do descanso semanal remunerado, de preferência aos domingos, também é desrespeitada, de acordo com o órgão.

Procurado, o Walmart informou que não foi notificado formalmente pelo Ministério Público do Trabalho sobre o caso. Em nota, a rede varejista afirmou ainda que "possui políticas internas rigorosas que respeitam não apenas a legislação trabalhista vigente, mas também demonstram compromisso irrestrito com os valores da ética, integridade, diversidade e respeito, de forma que não é tolerado qualquer comportamento abusivo e de desrespeito ao indivíduo".

O MPT reportou ainda que, a seu pedido, a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Alagoas e o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador realizaram inspeções em lojas da companhia. O órgão afirma que os empregados não usam equipamentos de proteção necessários e têm acesso obstruído a hidrantes e extintores.

O MPT também considerou que há risco à segurança dos empregados no transporte de dinheiro dos caixas para outros pontos das lojas. Na ação, o MPT pede à Justiça do Trabalho que o Walmart seja proibido de cometer assédio moral e de exigir do empregado o trabalho superior à sua condição física. Cada obrigação descumprida pode gerar multa de R$ 100 mil, mais R$ 10 mil por trabalhador prejudicado. Em caso de condenação, a indenização de R$ 125 milhões será revertida a instituições de utilidade pública ou ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
Facebook Twitter Contracs Fecesc Fetrace Fetracom-DF Fetracom-PB Fetracs-RN Fetracs Conexão Sindical Rede Brasil Atual

Todos os Direitos Reservados © CONTRACS
Sede: Quadra 1, Bloco I, Edifício Central, salas 403 a 406 | Setor Comercial Sul | CEP: 70304-900 | Brasília | DF
Telefone:(55 61) 3225-6366 | Fax:(55 61) 3225-6280
Subsede: Avenida Celso Garcia, 3177 | Tatuapé | CEP: 03063-000 | São Paulo | SP
Telefones:(55 11) 2091-6620 / 2091-2253 / 2092-5515 / 2225-1368 | Fax:(55 11) 3209-7496
www.contracs.org.br | contracs@contracs.org.br